28.2 C
Bom Jesus

Sobe para 114 o número de mortos por coronavírus no Brasil; casos somam 3,9 mil

Subiu para 114 o número de mortes em decorrência da pandemia de coronavírus no Brasil, informou neste sábado (28) o Ministério da Saúde. O número de confirmados já chega a 3.904.

Nas últimas 24 horas encerradas às 15h, 487 novos casos foram confirmados, alta de 14% de em relação ao dia anterior.

No início, o ministério chegou a divulgar 111 mortes, mas depois corrigiu para 114.

Das vítimas fatais, 90% são idosos e 84% apresentavam pelo menos um fator de risco, segundo o ministério.

Em entrevista coletiva para divulgar os novos dados, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse que o país está enfrentando dificuldades para comprar equipamentos de proteção individual (EPIs) e defendeu uma regulamentação desse mercado, bem como as medidas de isolamento social.

“É mais uma razão para que a gente fique em casa parado até que a gente consiga colocar os EPIs nas mãos dos profissionais da saúde”, afirmou, emendando que “se todo mundo sair para a rua” e contrair o vírus faltarão equipamentos para atender pacientes de todas as classes sociais.

Na coletiva, o ministro também disse que “não existe quarentena vertical, nem horizontal” no país. “O lockdown [fechamento total] pode acontecer em algum momento em algumas cidades, o que não existe um lockdown em todo o território brasileiro”, afirmou.

Nesta semana, ocorreram em algumas capitais careatas pelo fim do das medidas de isolamento social. O ministro disse que esses eventos não são recomendados e que pessoas que participam deles hoje podem precisar do sistema de saúde amanhã.

Mandetta explicou que a epidemia do novo coronavírus “é totalmente diferente da de H1N1” e destacou que naquela ocasião havia um medicamento que todo mundo tinha à mão. O ministro alertou que quem “raciocinar pensando nessa [H1N1] que foi assim vai errar feio”, afirmou.

“A conta  [que deve ser feita] é: esse vírus ataca o sistema de saúde e ataca a sociedade como um todo, ataca logística, educação, economia. Uma série de setores do mundo”, disse o ministro. “Vamos ter que estudar muito esse vírus, esse inimigo no nosso meio [da saúde].”

O ministro informou que até segunda-feira entrará em contato com as secretarias estatuais e municipais de Saúde para confirmar o número exato de leitos de UTI disponíveis no Sistema Único de Saúde e na rede privada. E afirmou que estados que não repassarem informações poderão responder administrativamente.

“Não vamos tocar isso cada um olhando para o seu umbigo. O Brasil é uma nave só. Vamos ter que usar inteligência, pouca ação de reflexo.”

Mandetta afirmou ainda que o governo trabalha para construir um consenso com estados para garantir a logística de abastecimento de mercadorias e alimentos nas regiões mais carentes do país durante o período de distanciamento social.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais Lidas

Polícias Civil e Militar prendem traficantes em Bom Jesus.

A ação integrada das Polícias Civil e Militar de Bom Jesus resultou na prisão de um casal traficantes, na apreensão de um menor de...

Gusttavo Lima é censurado e decide não fazer mais lives, CONAR aponta irregularidades nas transmissões

A declaração foi feita horas depois do músico virar alvo do Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária), que apontou irregularidades nas propagandas de bebidas...

Adolescente de 15 anos morre afogado em barragem no Piauí

O jovem Lucas de Jesus Almeida, de apenas 15 anos, de família de Campo Grande do Piauí, morreu vítima de afogamento no início da...

Sindicato denuncia cortes de horas extras e cobra adicional de periculosidade igual para todos durante pandemia

A Direção do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Saúde Pública do Piauí (SINDESPI) em reunião na última quarta-feira (15/04) com o diretor do...