Sem receber salários, professores de Currais paralisam aulas e reivindicam dinheiro do Fundef

A categoria alega salários atrasados e decidiu em assembleia que irão paralisar os trabalhos e só retornaram quando o prefeito regularizar os pagamentos.

549

Professores de rede municipal de ensino de Currais deveriam retornar suas atividades para o segundo semestre nesta segunda-feira (14) de agosto, mas, como estão com os benefícios atrasados, resolveram paralisar os serviços.

Os professores contam que a situação no município é crítico, e isso poderá comprometer o segundo semestre letivo. Com isso os professores decidiram em assembleia que iram paralisar os trabalhos, somente irão para as salas de aulas na terça, quarta e quinta-feira para poder cumprir as 72 horas antes da paralisação total para poder legalizar a greve.

Os professores disseram que só retornaram suas atividades quando o prefeito Raimundo Santos, pagar os salários atrasados de todos os servidores da rede municipal de educação. Um dos professores conversou com a redação do Portal Ponto X, e disse que é uma pena que o município de Currais esteja passada mais uma vez por essa mesma situação.

Cinco Escolas já foram fechadas no primeiro semestre, poderão ser fechadas mais cinco Escolas neste segundo semestre. Os professores disseram estar bastante preocupados com o estado de calamidade que vem passando o município e pedem ajuda a câmara de vereadores e ao ministério público para intervir no caso.

Professores e sindicato participarão de uma reunião nesta terça-feira (15) as 8:00 hs. da manhã na câmara de vereadores de Currais. A categoria vai cobrar o legislativo e o prefeito Raimundo Santos, além dos salários atrasados, o dinheiro FUNDE (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério).

Segundo os professores o prefeito disse que não vai desbloquear os recursos do FUNDEF, e na reunião desta terça-feira professores e sindicalistas irão propor a liberação desse dinheiro para colocar as contas do município em dia e pagar o que é de direito da categoria.

Os professores relataram que a assessoria jurídica do prefeito informou que não tem dinheiro, as contas da prefeitura estão zeradas e não tem previsão até o dia 30 desse mês.

Vale lembrar que o gestor recentemente promoveu um grande festival de quadrilhas com premiação em dinheiro e os festejos do município com grandes bandas em praça pública, além de corrida de prado e tudo isso com dinheiro público.

Comentários