Palmeiras goleia e mantém o São Paulo na zona de rebaixamento

O Palmeiras voltou a vencer no Campeonato Brasileiro, manteve a freguesia do São Paulo no Palestra Itália e triunfou sobre um rival regional pela primeira vez neste Brasileirão.

28

Após sair atrás no placar com Marcos Guilherme, Willian anotou dois gols e virou o jogo, mas Hernanes igualou novamente o marcador no primeiro tempo. Na etapa final, Keno colocou o Alviverde na frente novamente e Hyoran definiu a emocionante vitória por 4 a 2.

Modificado, o campeão brasileiro abandonou o 4-3-3 e entrou em campo no 4-2-2-2. Com a torcida ressabiada e pouco participativa, o Palmeiras jogava bem e tinha Tchê Tchê, retomando o bom desempenho, e Willian, se movimentando entre as linhas adversárias, como principais destaques. As arquibancadas viam um time que lutava pelo G4.

O Tricolor, armado no 4-1-4-1, sofria com as investidas alviverdes pelo lado direito, em que Cueva deveria ajudar Edimar na marcação, problema corrigido apenas depois por Dorival Junior, que inverteu o lado do peruano. Com quase 65% de posse de bola, o Verdão dominava o rival e só poderia sofrer um gol em falha individual. Pois foi justamente o que ocorreu.

Bruno Henrique perdeu disputa com Cueva pelo alto, Luan ameaçou sair para abafar o passe de Lucas Pratto, mas manteve posição e levou uma bola nas costas, que acabou com Marcos Guilherme mandando para as redes. O silêncio tomou conta do Palestra Itália e apenas xingamentos eram ouvidos.

Esperando ver a equipe que havia marcado 12 gols e sofrido apenas um contra o São Paulo em sua Arena, a única lembrança de clássicos anteriores ocorreu quando Sidão cobrou tiro de meta errado nos pés de Willian, e a massa imediatamente gritou: “De cobertura!” Mas o palmeirense mandou para fora, ao lado da meta.

Foram necessários dois sustos para o estádio voltar a vibrar. Primeiro, Lucas Pratto levou joelhada de Hernanes, caiu desacordado em campo e foi retirado de ambulância, com aplauso dos palmeirenses. Depois, em nova falha defensiva do Palmeiras, Marcos Guilherme fez jogada individual e acertou o travessão.

Após seis minutos de paralisação para atendimento do argentino, Willian, o mais lúcido em campo, despertou novamente a torcida alviverde. Primeiro, dominou cruzamento de Michel Bastos, que Edimar não conseguiu cortar, e bateu cruzado para empatar. Três minutos depois, avançou pela esquerda, aplicou uma caneta em Jucilei e mandou no ângulo de Sidão para fazer o segundo. A torcida via novamente via o campeão brasileiro em campo.

No duelo dos Profetas entre Moisés e Hernanes, o palmeirense estava sumido, e o são paulino, candidato óbvio a brilhar, marcou seu quarto gol consecutivo em partidas fora de casa. Em falha de Jean, o camisa 10 tricolor dominou no peito o cruzamento de Buffarini e bateu no cantinho de Prass.

Na etapa final, os visitantes mantiveram a postura de contra-ataque, mas não conseguiram ter sucesso. Já os mandantes abdicaram dos quatro homens no meio-campo e retomaram o 4-3-3, com a entrada de Keno na vaga de Bruno Henrique.

A alteração mostrou resultado, e o atacante anotou um golaço para virar o marcador. Por fim, Hyoran ainda definiu a goleada alviverde. E foi assim que o Palestra Itália reviveu 2016, com uma vitória marcante sobre um rival, e a festa restabelecida nas arquibancadas.

Depois de três rodadas, o Palmeiras voltou a vencer e, de quebra, ainda manteve o tabu de não perder para o rival do Morumbi no Allianz Parque. Já o Tricolor terá de amargar mais uma rodada na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Comentários