Giovanna Gabriely foi encontrada no município de União (Foto: divulgação)

Depois de 72 horas desaparecida, a adolescente Giovanna Gabriely Belém Oliveira, de 17 anos, foi localizada no final da tarde desta quarta-feira (06), no município de União. A jovem prestou depoimento à polícia na presença de psicólogos e de conselheiros tutelares.

O secretário de Segurança Pública do Piauí, Fábio Abreu, afirmou na manhã desta quinta-feira(07), que durante o depoimento, Giovanna Gabriely, fez denúncias graves de um suposto abuso sexual e por que conta disso havia desaparecido e agora está sob os cuidados de uma tia materna.

“Ela foi encontrada numa praça por um homem, depois disso ela foi encaminhada para um alojamento, se alimentou e depois prestou depoimento na companhia de profissionais. Ela fez uma série de relatos, até pelo fato de está abalada por tudo que aconteceu e que envolve o pai. Por conta disso, ela está agora sob os cuidados de uma tia materna e vamos aguardar o que a Justiça irá decidir, já que as investigações irão continuar para tentar resolver esse caso”, explicou.

Ainda segundo o secretário, está sendo investigado a possibilidade da adolescente ter aceitado uma carona em um veículo branco e assim ter chegado no município de União. “Tudo isso está sendo investigado, estamos ouvindo pessoas e colhendo depoimentos e encaminhando todas essas informações à Justiça”, acrescentou.

O caso continuará sendo investigado pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA).

Giovanna Gabriely foi encontrada no final da tarde desta quarta-feira (06), em uma praça, no município de União, distante a 55 quilômetros de Teresina. A informação foi confirmada ao pela mãe da jovem, Keila Belém. “Só quero abraçar minha filha. Muito obrigada a todas as pessoas que ajudaram e contribuíram para que pudéssemos encontrá-la”, declarou.

A adolescente de 17 anos sumiu depois de fazer a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), no último domingo (03), ao sair de uma faculdade, na zona Sul de Teresina.

De acordo com Keila, Giovanna sofre de depressão e estava fazendo acompanhamento psiquiátrico. “Ela estava usando a medicação correta, nada que alterasse ela, pelo contrário, estava feliz com as festividades da escola e não houve nenhuma desavença familiar”, disse.


Fonte: AZ

Comentários Facebook