28.2 C
Bom Jesus

Doença misteriosa: laudo aponta substância tóxica em cerveja

Perícia é preliminar, porém, e ainda não significa que a bebida tenha ligação com doença misteriosa que já matou uma pessoa em Minas Gerais.

Laudo da Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) confirmou, nesta quinta-feira (09/01/2020), a contaminação de duas amostras da cervejaria Backer com a substância dietilenoglicol – a informação é do G1. A suspeita é que a bebida tenha causado uma doença misteriosa que já matou uma pessoa e afetou pelo menos outras sete em Belo Horizonte (MG).

Diante das suspeitas, a PC recolheu material na cervejaria, também na tarde desta quinta-feira (09/01/2020). Na última segunda-feira (06/01/2020), a Vigilância Sanitária de Belo Horizonte deu início à análise de alimentos para apurar a possível causa da intoxicação.

O laudo, que ainda é preliminar, afirma que foram analisadas duas cervejas pilsen da marca belorizontina, recebidas pela Vigilância Sanitária lacradas e acondicionadas em envelopes de segurança. Como ainda é preliminar, a análise do Instituto de Criminalística da PC não implica qualquer tipo de responsabilização no caso.

Dois lotes foram investigados: o L1 1348 e o L2 1348. Após a constatação da substância foi que a PCMG recolheu produtos da cervejaria.

O dietilenoglicol é usado no processo de refrigeração de cervejas e, segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), é um solvente “altamente tóxico que causa insuficiência renal e hepática”, que pode, inclusive, matar.

As suspeitas quanto à relação da cerveja com a doença começaram a ser divulgadas por redes sociais.

No total, o poder público já registrou nove casos suspeitos, mas um foi descartado porque o paciente sofria de doença renal prévia. A doença misteriosa possui como sintomas iniciais náuseas, vômitos e dores abdominais e evolui, rapidamente, para insuficiência renal aguda com manifestações neurológicas, como paralisia facial, vista borrada, cegueira total ou parcial, e precisam ser comunicados às autoridades locais.

Ao Portal Metrópoles, a cervejaria informou, em nota, que tem “confiança em todas as etapas de produção dos nossos produtos” e que está colaborando com os órgãos públicos de saúde que periciam o processo de fabricação. “Autoridades de saúde investigam, igualmente, outros produtos consumidos e que possam ter provocado a hospitalização de oito pessoas, todas com os mesmos sintomas”, afirmou.

Mais Lidas

Polícias Civil e Militar prendem traficantes em Bom Jesus.

A ação integrada das Polícias Civil e Militar de Bom Jesus resultou na prisão de um casal traficantes, na apreensão de um menor de...

Gusttavo Lima é censurado e decide não fazer mais lives, CONAR aponta irregularidades nas transmissões

A declaração foi feita horas depois do músico virar alvo do Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária), que apontou irregularidades nas propagandas de bebidas...

Adolescente de 15 anos morre afogado em barragem no Piauí

O jovem Lucas de Jesus Almeida, de apenas 15 anos, de família de Campo Grande do Piauí, morreu vítima de afogamento no início da...

Sindicato denuncia cortes de horas extras e cobra adicional de periculosidade igual para todos durante pandemia

A Direção do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Saúde Pública do Piauí (SINDESPI) em reunião na última quarta-feira (15/04) com o diretor do...