Casos de Chikungunya aumentam 144% no primeiro semestre de 2017 no Piauí

Sesapi considera a situação alarmante e lançou alerta a todos os municípios do Estado. 10 cidades estão em situação crítica.

23

O Piauí está em situação de alerta na saúde pública por conta do aumento considerável nos casos de febre Chikungunya registrados no Estado de janeiro a agosto deste ano. Os números da doença subiram 144,4% em relação ao mesmo período do ano passado, o que levou a Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) a lançar um alerta a todos os municípios piauienses.

De acordo com a gerente de Vigilância em Saúde da Sesapi, Miriane Araújo, os municípios de Bom Princípio, Cajueiro da Praia, Floriano, Francinópolis, Luís Correia, Nazaré do Piauí, Oeiras, Paranaíba, Pedro II, Piripiri e São Raimundo Nonato são os 10 que se encontram em situação crítica pelo número de casos de Chikungunya registrados.

Na manhã desta segunda-feira (11), os gestores da Saúde se reuniram com os coordenadores regionais para avaliar o cenário e comunicar as novas providências para controle, não só da febre Chikungunya, como também de todas as outras doenças causadas pelo mosquito Aedes Aegypti. O encontro teve por objetivo também estimular as notificações dos casos para que sejam identificados os municípios com a maior incidência das doenças.

A Sesapi vai ter o apoio do Ministério Público Estadual (MPE), do Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Comsens) e da Associação Piauiense de Municípios (APPM) no desenvolvimento das ações. A primeira delas será a visita de técnicos da Secretaria aos municípios para conscientizar a população acerca da urgente mobilização de prevenção e combate.

Para este semestre está prevista, no período de 23 a 27 de outubro, a realização da Semana Nacional de Mobilização contra o Aedes aegypti, envolvendo a participação dos órgãos estaduais da Saúde, Educação e Assistência Social.

A Febre Chikungunya

Conforme protocolo do Ministério da Saúde, são considerados casos suspeitos de Febre Chikungunya as pessoas que apresentam febre de início súbito maior de 38,5°C e dor nas articulações. Os sintomas da doença começam a aparecer de dois a 10 dias, podendo chegar a 12 dias depois da picada do mosquito.

O Ministério da Saúde lembra que o vírus da Chikungunya pode afetar pessoas de qualquer idade ou sexo, mais os sinais e sintomas tendem a ser mais intensos em crianças e idosos. Além disso, pessoas com doenças crônicas têm mais chances de desenvolver formas graves da doença.

 

 

Por: Maria Clara Estrêla

Comentários