Áudio que pode ‘anular’ delação foi entregue como material sobre Ciro

53
Na foto, o empresário Joesley Batista, da JBS - Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Foi classificado como “Piaui Ricardo 3 17032017.wav” o áudio da conversa que pode levar à anulação da delação de executivos da JBS. A existência da gravação, cujo conteúdo ainda está em sigilo, foi revelada no início da noite desta segunda-feira (05/09) pelo Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot. O arquivo foi anexada como se fizesse parte do material referente ao senador Ciro Nogueira, Presidente do Partido Progressista.

Segundo despacho da PGR, o áudio foi aparentemente gravado em 17 de março de 2017, foi entregue como dado de corroboração em relação ao senador piauiense. Ao analisar o conteúdo, que sugere a prática de possível conduta criminosa do ex-procurador Marcelo Miller, levantou-se a necessidade de instauração de procedimento para revisão do acordo firmado com JBS. A suspeita é de que Miller teria atuado em favor de Joesley Batista e Ricardo Saud, antes de deixar o cargo na procuradoria.

As quase quatro horas de conversa entre Joesley e Saud teriam sido gravadas de forma não intencional.

Diante da suspeita de omissão de informações, o procurador-geral assinou portaria com pedido de revisão dos acordos de três dos sete delatores da JBS, incluindo além de Joesley e Saud, o diretor jurídico do grupo, Francisco de Assis. A gravação será entregue ao STF nesta terça-feira (05). Ao ministro Edson Fachin caberá a decisão sobre o sigilo das gravações.

 

Fonte: 180 graus

Comentários