Currais: Após ouvir testemunha de Teresina, Justiça Eleitoral irá decidir o processo contra o mandato do atual prefeito Raimundo Santos.

Após ouvir ultima testemunha Juiz vai decidir o processo, cassando ou não o mandato do atual prefeito.

810
Foto: Justiça Eleitoral - Portal Ponto X

Ontem (13) de junho de 2017 ocorreu audiência na Justiça Eleitoral referente à Ação de Investigação Eleitoral proposta pela Coligação “CURRAIS VAI SORRIR DE NOVO”, que teve como candidato à prefeito de Currais JOAQUIM ARISTEU FIGUEIREDO DA FONSECA contra a Coligação “PAZ E LIBERDADE PARA TODOS”, que teve como candidato à reeleição de prefeito Sr. RAIMUNDO DE SOUSA SANTOS.

A coligação de Aristeu alega que houve abuso do poder político e econômico, além da capitação de votos, desequilibrando o pleito eleitoral já que, segundo a coligação de Aristeu,  teriam sido oferecido valores em dinheiro, e cargos públicos,  aos candidatos ao cargo de  vereador de outras coligações em troca do apoio político.

Alega que eram oferecidos aos eleitores, em troca do voto, sacos de cimento, telhas, tijolos, peças para motos e carros, etc, além da doação de 10  placas para transformar luz solar em energia.

Já a coligação encabeçada pelo atual prefeito Raimundo Santos alega que não são verdadeiros os fatos alegados, sendo fragéis, incossistentes, meras presuções e ilações que não ocorreram, e que o pleito transcorreu na mais pura normalidade,  e que fora o candidato mais votado por livre vontade do eleitor que o escolheu para continuar administrando o município. Que a ação  é uma tentativa desesperada de reverter a derrota nas urnas junto ao Judiciário. Que a população resolveu reeleger Raimundo Santos para um segundo mandato em virtude do seu exemplar trabalho à frente do Executivo de Currais.

Foi encerrada audiencia de instrução, restando apenas o depoimento de uma testemunha arrolada pela coligação do prefeito Raimundo Santos, a qual será ouvida por carta precatória em Teresina.

Foi aberto prazo para as partes requerem diligencias, e após o retorno da carta precatória de Teresina, serão apresentadas as alegações finais, quando então o juiz vai decidir o processo, cassando ou não o mandato do atual prefeito.

Entretanto, mesmo que haja a cassação do atual, o sr. Joquim Aristeu, apesar de segundo candidato mais votado nas eleições, não assumirá o cargo de prefeito, devendo ser marcada nova eleição para que a população escolha o novo prefeito.

Comentários