Estelionatário: Empresa de Teresina aplica golpe do Boleto falso em Bom Jesus

A "E. de F. Siqueira" teria vendido os boletos para uma financeira, também de Teresina, a ABM Factoring, com o intuito de levantar dinheiro de forma fácil e ilegal.

450
Foto: divulgação

De acordo com o proprietário da empresa Lupel Papelaria, Luiz Pinheiro, uma empresa de Teresina, capital do estado, está cometendo crime de estelionato em Bom Jesus.

A empresa “E. de F. Siqueira”, inscrita no Cnpj:08.106.175/0001-90, cujo nome fantasia é (Comercial Siqueira), com endereço na Av. Centenário, n° 1899, Bairro, Aeroporto, Teresina, está aplicando um golpe de emissão de boletos para levar dinheiro em financeira.

Segundo informações do empresário Luiz Pinheiro, o Comercial Siqueira, emitiu vários boletos sem o seu conhecimento e mesmo sem efetuar nenhuma compra referente aos boletos emitidos em nome de sua empresa.

A “E. de F. Siqueira” teria vendido os boletos para uma financeira, também de Teresina, a ABM Factoring, com o intuito de levantar dinheiro de forma fácil e ilegal.

O problema do estelionatário, é que a Lupel Papelaria recebeu um aviso de título em protesto do Cartório do 1° Ofício de Bom Jesus, foi então que o comerciante Luiz Pinheiro viu que poderia está sendo lesado.

Pinheiro, entrou em contato com a Empresa “E. de F. Siqueira” para reclamar os títulos sem compras e sem Nota Fiscal de mercadoria. A empresa ainda teria atendido umas duas vezes a reclamação do comerciante de Bom Jesus, e até chegou a pagar rum título que seria protestado em cartório no valor de R$ 500,00.

Porém, para a surpresa do empresário bomjesuense, já haviam sido emitidos vários boletos no valor R$ 3.395,10. Mais uma vez Luiz Pinheiro entrou em contato com a empresa de Teresina, mas não foi mais atendido pelo suposto vendedor.

Já o proprietário da ABM Factoring Financeira, disse que não sabia que se tratava de um estelionato, e que esse tipo de fraude estaria acontecendo com outras empresas, e que também já tinha identificado outros boletos da mesma natureza, segundo informou ao Ponto X, o comerciante.

Pinheiro está indignado com a financeira ABM Factoring por ter recebido boletos de sua empresa sem Nota Fiscal para comprovar a veracidade do negócio, pois o correto, seria a empresa financeira conferir se os boletos emitidos tinham (NF) nota fiscal, o que não existia, tornando a negociação uma fraude. O comerciante disse está tomando as medidas necessárias para punir os estelionatários.

Segundo o Art. 171 do Código Penal – Decreto Lei 2848/40

Art. 171 – Obter, para si ou para outrem, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil, ou qualquer outro meio fraudulento:Pena – reclusão, de um a cinco anos, e multa.

A redação do Ponto X tentou entrar em contato com a presa de Teresina, mas a pessoa que atendeu, disse que não tinha conhecimento do assunto.

Comentários